12 agosto 2009

SANTA CLARIDADE in memorium - 12 de agosto

“... sou a mineira gerreira, filha de Ogum com Yansã...”
Photobucket - Video and Image Hosting
Capa do disco Clara Esperança, onde a cantora profetiza que um dia o Brasil terá um presidente negro


Clara Nunes foi a primeira mulher brasileira a ganhar visibilidade na mídia cantando ritmos dos cultos aos Orixás. O modo de vestir roupas brancas, de se enfeitar com balangandãs e berenguendéns, de rodar descalça e de entoar os sons de África a fizeram ícone da Música Popular Brasileira.

Clara Francisca Nunes Gonçalves nasceu em 12 de agosto de 1942, em Cedro(hoje Caetanópolis), distrito de Paraopeba/MG. Batizada na Igreja de Santo Antônio, seu nome lembra o da padroeira da Televisão, Santa Clara de Assis que morreu em 11 de agosto de 1253. A voz de Clara teve destaque no coral da Igreja Católica do bairro de Renascença de Belo Horizonte. Em 1960 venceu seu primeiro concurso como cantora: A Voz de Ouro ABC, em Minas Gerais. Teve programas na Rádio Inconfidência e TV Itacolomi, de Belo Horizonte, entre outras emissoras.

Em 1965, já no Rio de Janeiro, apresentava-se na TV Continental. Nas areias de Copacabana, identificou-se com as religiões de matriz africana. O primeiro disco foi A voz adorável de Clara Nunes (1966), pela Emi-Odeom. Ao longo da carreira, cantou sambas-canção, sambas enredo, partido-alto e ritmos afro-brasileiros.

Vários discos foram sucesso de vendagem como, por exemplo: Canto das três raças (1976), As forças da natureza (1977) e Guerreira (1978). Chico Buarque compôs Morena de Angola especialmente para Clara Nunes, faixa do disco Brasil mestiço (1980). Músicas como A Deusa dos Orixás e Tributo aos Orixás também fizeram sucesso. Seu último disco foi Nação (1982). Clara Nunes morreu em 02 de Abril 1983.

No Rio Grande do Sul, a Associação Clara Nunes, presidida por Alexandre Gabriel, preserva a memória da cantora e realiza um trabalho social com crianças e jovens da comunidade da Vila São Miguel, no Morro da Polícia de Porto Alegre. A associação também mantém a Biblioteca do Negro Maria Helena Vargas da Silveira”, na residência da Profa. Yvanilda Belegante, em Viamão/RS. www.associacaoclaranunes.ubbi.com.br. No município de Caçapava do Sul, há 18 anos, também existe um grupo de dança chamado "Clara Nunes".

Confira, abaixo, alguns trechos de músicas interpretadas por Clara Nunes:

DEUSA DOS ORIXÁS
Composição: Romildo/Toninho
(...)
Mas Yansã, cadê Ogum? Foi pro mar
Mas Yansã, cadê Ogum? Foi pro mar
Yansã, cadê Ogum? Foi pro mar
Yansã, cadê Ogum? Foi pro mar
(...)

TRIBUTO AOS ORIXÁS
Composição: Mauro Duarte / Noca / Rubem Tavares
(...)
Neste terreiro em festa
Entre mil adobás
Prestamos nosso tributo
Aos Orixás

Ao rei das matas : Okê bamboclim !
Ao vencedor das demandas : Guarumifá !
À cacarucaia dos Orixás : Saluba !
À grande guerreira da lei : Eparrei !

Nos rios e nas cachoeiras : Alodê !
Ao dono da pedreira : Caô,Caô !
À rainha do mar : Adofiaba mamãe !
E ao curandeiro das pestes : Atotô !

Agô-iê, Agô-iê, Agô
Mutumbá , Mutumbá
Pai maior,oni-babá!

(...)

MORENA DE ANGOLA
Composição:Chico Buarque

(...) Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela
Morena de Angola que leva o chocalho amarrrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela
(...)

OBS: Pode-se encontrar a obra completa, em 16 CDs remasterizados, embalados em capas que reproduzem as originais (1997) ou no BOX CLARA NUNES, composto de 8 cd's contendo toda a sua obra + 1 cd Raridades (2004).

0 comentários:

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Hot Sonakshi Sinha, Car Price in India