21 março 2007

BIBLIOTECA NEGRA DE PELOTAS SERÁ FUNDADA HOJE

por Pablo Rodrigues

Depois de quase 120 anos da abolição da escravatura será fundada hoje - Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial - a primeira Biblioteca Negra de Pelotas (BNP) destinada à valorização da história e cultura afro-brasileira.

O evento ocorre a partir das 20h no Clube Cultural Fica Ahí. A diretora da Fundação Palmares (instituição vinculada ao Ministério da Cultura responsável por assuntos relacionados à cultura afro), Leila Silva, elogiou a criação da BNP e afirmou desconhecer a existência de outra biblioteca no País com o mesmo propósito.

A BNP surgiu de uma parceria entre o Grupo Sangoma de Estudos da Cultura Negra - criado por alunos negros do curso de Filosofia da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) - e o Fica Ahí. O coordenador do Sangoma, professor Uruguay Cortazzo, afirmou que a nova Biblioteca deve se tornar futuramente em núcleo de pesquisa: “Qualquer pessoa poderá acessar o acervo e pesquisar sobre história e cultura da diáspora africana nas Américas.”

Cortazzo salientou a importância simbólica de a BNP estar sediada em espaço socialmente negro: o Clube Cultural Fica Ahí. “Os negros estarão próximos da Biblioteca, juntos a ela em local que sempre lhes pertenceu. Por mais incrível que pareça, há locais públicos em que a presença do negro ainda não é bem-vista”, disse.

A vice-presidente do Fica Ahí, Maria Helena Silveira, afirmou que a fundação da BNP é a realização de um desejo antigo: “É um sonho da nova diretoria e também de todas as anteriores a criação desta biblioteca. Ainda mais se tratando da etnia negra, que é difícil encontrar bibliografia. A fundação ficará na história de Pelotas.”

Lisandro Dias, integrante do Grupo Sangoma e estudante do 5º semestre de Filosofia, disse que é importante criar espaços nos quais a intelectualidade seja ainda mais desenvolvida. “A biblioteca será esse espaço. Dançar é importante. Cantar é importante. Estimular o pensamento crítico também”, disse.

PROGRAMAÇÃO

Além da fundação da Biblioteca Negra de Pelotas, o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial tem outras atividades na cidade.

O Movimento Negro promove a partir das 14 horas no Calçadão campanha de esclarecimentos à população com a distribuição de material sobre preconceito e discriminação de raça.

O artista Paulo Corrêa promove hoje mostra coletiva no hall de exposições do Centro de Integração do Mercosul da UFPel.

A exposição conta com obras de Iara Braga, Valdir Ferreira, Laura Elisa, Dielson Braga, José Darci e Jonas Martins.

O coordenador afro da Secretaria de Projetos Especiais, Daniel Amaro, disse que a função do Poder Público nesses casos não é ditar o que o Movimento Negro deve fazer, mas apoiar suas iniciativas: “Por isso estamos apoiando e buscando dar infra-estrutura às manifestações.”

SERVIÇO

O ato de fundação da Biblioteca Negra de Pelotas ocorre a partir das 20h no Clube Cultural Fica Ahí.

Os ingressos custam R$ 10,00 e serão revertidos à compra de acervo bibliográfico.

A cantora Giamarê, Sérgio Insaurriaga e o grupo Trem do Sul serão as atrações artísticas da noite.

Neuza Zoch, da Secretaria de Cidadania do Estado, realizará palestra sobre A mulher negra e o mercado de trabalho e renda.

ACERVO

A Biblioteca Negra de Pelotas conta ainda com acervo pequeno: cerca de 30 obras. No entanto, certos exemplares são importantes para conhecer a cultura afro-brasileira. Exemplo disso são as edições do jornal Quilombo: Vida, Problemas e Aspirações do Negro - reunidas em livro pela Editora 34 - coordenado por Abdias do Nascimento, um dos principais pensadores negros brasileiros. De 1907 a 1957 funcionou em Pelotas o jornal A Alvorada. A publicação também era voltada à população negra da cidade.

DOAÇÕES

Obras que abordem a história e a trajetória da cultura afro podem ser doadas para a Biblioteca Negra de Pelotas. As doações devem ser encaminhadas ao Clube Cultural Fica Ahí: rua Marechal Deodoro, 368. Mais informações pelo telefone 3272-2307.

HISTÓRIA DE UM MASSACRE - 21 DE MARÇO

A Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o dia 21 de março como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial em memória do Massacre de Shaperville.

Em 21 de março de 1960, 20 mil negros protestavam contra a lei do passe que os obrigava a portar cartões de identificação para especificar os locais pelos quais poderiam circular. Isso aconteceu na cidade de Joanesburgo, na África do Sul. A manifestação era pacífica. O exército, no entanto, atirou sobre a multidão, matou 69 pessoas e deixou outras 186 feridas.

O dia 21 de março marca ainda outras conquistas da população negra no mundo: a independência da Etiópia, em 1975, e da Namíbia, em 1990. Ambos países africanos.

FONTE: www.diariopopular.com.br

*************************
RS GANHA "BIBLIOTECA NEGRA" EM PELOTAS

por José Antonio dos Santos da Silva

Fundação Cultural Palmares e Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da UFPel assinaram Termo de Cooperação e Integração na sexta-feira(9), em ato realizado no Centro de Integração do Mercosul.

Resgatar a importância da cultura negra é o principal objetivo do Termo. Entre outras ações, a cooperação pretende capacitar educadores para a implementação da lei 10.639, cujo teor torna obrigatório o estudo sobre História e Cultura Afro-Brasileira nos ensinos fundamental e médio.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Zulu Araújo

Em visita a Pelotas, o presidente da Fundação Palmares, Zulú Araújo, ressaltou a necessidade de aprimoramento dos ensinos voltados à cultura africana. "A África é o continente-mãe da humanidade e deu contribuições civilizatórias importantíssimas", disse Zulú.

O vice-reitor da UFPel, Telmo Pagana Xavier, declarou que o convênio é positivo tanto para a Universidade quanto para a comunidade em geral e disse que o ato trará um grande incremento para a região e resultados significativos para todos, principalmente porque Pelotas tem um grande número de afro-descendentes.

Além da Lei 10.639, a pró-reitoria de Extensão e Cultura desenvolve o Programa Buscando as Origens, que reúne quatro projetos, que são os relativos à Semana Zumbi, que visa promover em novembro a união das datas dos dias 14, Dia dos Lanceiros Negros, e 20, Dia da Consciência Negra; ao projeto Núcleo da Memória e de Estudos Afro-brasileiros da UFPel, "Memoáfrica"; ao trabalho Escola dos Tambores, que deverá trazer o Olodum a Pelotas; e ao projeto Caravana Afro-Brasileira, que pretende propiciar a 40 ministros de religiões de matriz africana radicados na Zona Sul uma visita a Salvador, Bahia, para observar semelhanças e diferenças entre as culturas religiosas das duas regiões.

4 comentários:

Deny¹³de Servi disse...

olá,estou fazendo um trabalho sobre a raça negra em Pelotas-RS,especialmente no bairro simoes/fragata,e gostaria de saber como eu consigo o nºde habitantes negros nesta região???no site do IBGE eu não consegui assim específico do bairro...se tiveres como me conseguir a informação ficarei grata,até dia 10/11.ok
contatos: 53-30271331/
email: ds-goulart@hotmail.com

isaias disse...

OBA!OBA!CONTRIBUIRA MUITO PARA CULTURA PELOTENSE,SIM,MAS ESPERO QUE DAQUI Á CEM ANOS PODEMOS ESTAR LENDO AO INVES DE FLAGELO NEGRO,Á SAGA NEGRA SOB TODOS ASPECTOS,VAMOS FAZER NOSSA HISTÓRIA POIS "SOMOS DONOS DO NOSSO DESTINO"

Minha água disse...

Não percam! tobossis.blogspot.com

Minha água disse...

Não percam! tobossis.blogspot.com

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Hot Sonakshi Sinha, Car Price in India