02 julho 2009

Ministro da Seppir recebe gaúchos na II CONAPIR

Gaúchos reuniram-se com o ministro da Igualdade Racial, Édson Santos, durante a II CONAPIR (25 a 28 de junho/09). Na ocasição, a coordenadora da COPIR-RS, Sátira Machado, e representantes dos municípios de Santa Maria, Venâncio Aires, Santa Rosa, Montenegro, Osório, Passo Fundo, Gravataí, Pelotas e Porto Alegre dialogaram sobre a importância da promoção da igualdade e das ações afirmativas tornar-se políticas de Estado e não de governos específicos.

Na reunião, os representantes dos Clubes Sociais Negros convidaram o ministro da Seppir para visitar suas entidades no interior do Rio Grande do Sul, ficando acordada agenda para o segundo semestre de 2009. Além de valorizar os clubes, Édson Santos ressaltou a responsabilidade dos participantes da Conferência Nacional aprovarem propostas que realmente atendam as demandas sociais do povo brasileiro.

Durante o encontro, a coordenadora da Copir-RS entregou um ofício ao ministro agradecendo o apoio da Seppir ao Rio Grande do Sul e o documento escrito pela filha do escritor gaúcho Oliveira Silveira – poeta da consciência negra, onde Naiara Oliveira, através da Associação Negra de Cultura, solicita a parceria do Governo Federal na implantação da Casa de Cultura Oliveira Silveira em solo sul rio-grandense.

No decorrer da II Conferência de Promoção da Igualdade Racial, em Brasília, a delegação gaúcha participou ativamente dos painéis e grupos de trabalho.

No eixo Educação, colaboraram com a proposta de assegurar o acesso e a permanência de alunos negros, ciganos e indígenas no ensino fundamental e médio, além da manutenção de cursinhos preparatórios para os cursos superiores, dando grande ênfase a implementação da lei 10.639/03 e 11.645/08.

No eixo Saúde, votaram pela obrigatoriedade do quesito raça e cor em todos os impressos oficiais da saúde e assistência social com o objetivo de monitorar estatisticamente o acesso das populações negra, indígena, cigana e quilombolas.

No eixo Trabalho foi pautada a inclusão de negros, índios, trabalhadores rurais, aposentados e pensionistas no acesso, principalmente, da seguridade especial junto à previdência.

No eixo Terra, os quilombolas e indígenas reivindicaram mais moradias, escolas, saúde e espaços para aplicação da cidadania.

No eixo Internacional, além dos embaixadores da África solicitarem o ensino da história dos africanos em toda a América Latina, a delegação palestina, em grande parte gaúcha, garantiu a sua visibilidade no Brasil.

No eixo Justiça, as comunidades tradicionais - negros, quilombolas, comunidades de terreiro, povos indígenas e ciganos – posicionaram-se pela reparação dos danos sofridos em razão do racismo no Brasil.

Durante toda a Conferência, a juventude negra, os comunicadores, as mulheres negras, os capoeiristas, e os demais representantes gaúchos impulsionaram os debates em vários grupos de trabalho. O relatório da II CONAPIR está previsto para sair em 90 dias.

0 comentários:

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Hot Sonakshi Sinha, Car Price in India